Quais são as vacinas dos dois meses para os bebês?

Muito se fala sobre as vacinas dos dois meses, mas poucas pessoas realmente sabem qual a proteção que cada dose oferece a criança. Que tal tirar suas dúvidas?

As vacinas são essenciais por toda a vida, mas, especialmente do nascimento até os 4 anos de idade, é essencial atenção redobrada para as doses indicadas. As vacinas dos dois meses são algumas das mais importantes para o bebê, mas você sabe quais são elas?

Nas próximas linhas, pontuamos quais são as vacinas a serem aplicadas nos bebês nesta faixa etária e como elas agem no organismo dos pequenos. Confira!

Aos dois meses, os bebês devem tomar, ao todo, 6 vacinas, entre injeções e gotinhas. Inclusive, uma delas é a segunda dose da vacina contra Hepatite B. Em seguida, as primeiras doses destas vacinas devem ser aplicadas:

Tríplice bacteriana (DTPw ou DTPa)

A vacina tríplice bacteriana, conhecida como DTPw (com células inteiras) ou DTPa (acelular), é uma das vacinas fundamentais administradas aos 2 meses de idade como parte do calendário de imunização infantil.

DTPw vs. DTPa

DTPw (com células inteiras)

Esta vacina contém componentes de células bacterianas inteiras. Era a vacina padrão usada anteriormente, mas, devido a possíveis reações adversas, em alguns lugares foi substituída pela DTPa.

DTPa (acelular)

É uma versão modificada da vacina que contém apenas partes da bactéria, tornando-a menos reativa e associada a menos efeitos colaterais graves do que a DTPw.

Composição e Proteção

Ambas as versões da vacina tríplice bacteriana protegem contra três doenças bacterianas:

  • Difteria: Uma infecção bacteriana que afeta as vias respiratórias, causando dificuldade para respirar e problemas cardíacos.
  • Tétano: Uma infecção bacteriana que entra no corpo através de feridas, causando rigidez muscular grave e potencialmente fatal.
  • Coqueluche (Pertussis): Uma doença altamente contagiosa do trato respiratório que pode ser grave, especialmente em bebês.

Como funciona

A vacina estimula o sistema imunológico do bebê a produzir anticorpos contra as bactérias causadoras das doenças mencionadas. Isso prepara o corpo para se defender dessas infecções no futuro.

Efeitos colaterais e segurança

Ambas as versões da vacina tríplice bacteriana podem causar efeitos colaterais leves, como febre, irritabilidade ou vermelhidão no local da injeção. A versão DTPw pode ocasionalmente causar reações mais intensas, mas graves efeitos adversos são muito raros.

Haemophilus influenzae b

Esta vacina protege contra doenças causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, sobretudo a meningite. A recomendação é que três doses sejam feitas: a primeira aos 2, a segunda aos 4 e a terceira aos 6 meses. Inclusive, uma quarta dose é recomendada pelas Sociedades Brasileiras de Pediatria entre 12 e 18 meses.

Os efeitos colaterais mais comuns dessa vacina são irritabilidade e dor local.

Vacina Hib

A vacina Hib é projetada para fortalecer o sistema imunológico do bebê contra esse tipo específico de bactéria.

Como funciona

A vacina Hib é uma vacina conjugada, o que significa que contém um pedaço inativo da bactéria Hib, que é introduzido no corpo do bebê. Isso estimula o sistema imunológico a produzir anticorpos contra o Hib sem causar a doença real. Quando a criança é exposta ao Hib no futuro, seu sistema imunológico está melhor preparado para combatê-lo.

Doses e Cronograma

Normalmente, a vacina Hib é administrada em uma série de doses durante os primeiros meses de vida do bebê, incluindo doses aos 2, 4 e 6 meses de idade, com doses de reforço posteriormente.

Efeitos colaterais e segurança

Esta vacina é geralmente considerada segura. Efeitos colaterais comuns incluem vermelhidão, inchaço ou sensibilidade no local da injeção, bem como febre leve. Efeitos adversos graves são extremamente raros.

Poliomielite (VIP)

Esta é a vacina na qual protege as crianças contra a paralisia infantil e também é recomendada em três doses: 2, 4 e 6 meses. E reforço aos 15 meses e 4 anos de idade.

O que é a Poliomielite?

A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença viral altamente contagiosa causada pelo poliovírus. Ela pode causar paralisia muscular permanente, principalmente nos membros inferiores, e, em casos graves, pode ser fatal.

Como funcionam as vacinas contra a poliomielite?

Ambas as vacinas funcionam expondo o sistema imunológico do bebê ao poliovírus, permitindo que o corpo desenvolva uma resposta imunológica. Dessa forma, quando a criança é exposta ao vírus real, seu sistema imunológico está equipado para combatê-lo, prevenindo a doença.

Efeitos colaterais e segurança

Ambas as versões da vacina contra a poliomielite são consideradas seguras. Os efeitos colaterais comuns são mínimos e geralmente incluem vermelhidão ou inchaço no local da injeção (no caso da VIP) ou, no caso da VOP, reações gastrointestinais leves.

Importante ressaltar que para essas 6 doenças acima (DTPa+ HiB + HepB + VIP) temos uma vacina que contempla todas elas na clínica privada, é a Hexavalente, poupando o bebê de uma picada e menor chance de eventos adversos intensos.

Rotavírus

A vacina contra o rotavírus conta com duas opções: rotavírus monovalente, recomendada em duas doses (2 e 4 meses) e pentavalente, recomendada em três doses (2, 4 e 6 meses). Mas, independente de qual for aplicada, a primeira dose deve ser feita entre 6 semanas e 3 meses e 15 dias, assim como última deve ser em, no máximo, 7 meses e 29 dias. O intervalo mínimo entre uma dose e outra é de 30 dias

O que é o Rotavírus?

O rotavírus é uma das principais causas de diarreia grave em bebês e crianças pequenas. Essa infecção viral pode levar a complicações sérias, como desidratação, principalmente em bebês com menos de 5 anos de idade.

Vacina contra o Rotavírus

Existem várias vacinas contra o rotavírus disponíveis, e duas das mais comuns são a Rotavírus Oral Vivo Atenuado (ROTA) e a Rotavírus Oral Humano Reassortante (HRV).

Como funciona a vacina?

Ambas as vacinas contra o rotavírus são administradas oralmente, geralmente na forma de gotas. Elas contêm partículas enfraquecidas do vírus rotavírus, que não causam a doença, mas estimulam o sistema imunológico a criar anticorpos contra o vírus.

Doses e Cronograma

Normalmente, a vacina contra o rotavírus é administrada em várias doses durante os primeiros meses de vida do bebê, incluindo doses aos 2, 4 e 6 meses de idade, de acordo com o calendário recomendado

Efeitos colaterais e segurança

Essa vacina é geralmente segura. Os efeitos colaterais mais comuns incluem irritabilidade, febre baixa e diarreia leve. É importante notar que a diarreia após a vacinação é um efeito colateral conhecido e não causa a forma grave de diarreia associada ao vírus.

Pneumocócicas conjugadas

A vacina pneumocócica conjugada administrada aos 2 meses de idade é uma parte crucial do calendário de imunização infantil. Esta vacina é projetada para proteger os bebês contra cepas da bactéria Streptococcus pneumoniae, que podem causar uma variedade de doenças, como pneumonia, meningite e otite média.

Por que é administrada aos 2 meses?

A vacinação aos 2 meses de idade é parte integrante do cronograma de vacinação infantil, pois nesse período os bebês ainda possuem uma imaturidade imunológica, tornando-os mais suscetíveis a infecções bacterianas. A administração da vacina pneumocócica nessa fase visa iniciar a proteção precoce contra as cepas bacterianas mais comuns e potencialmente perigosas.

Como funciona?

A vacina pneumocócica conjugada funciona expondo o sistema imunológico do bebê a pequenas partes inativas da bactéria Streptococcus pneumoniae. Isso estimula o corpo a produzir uma resposta imunológica, incluindo a produção de anticorpos, sem causar a doença real. Assim, quando a criança é exposta à bactéria real no futuro, seu sistema imunológico já estará preparado para combatê-la de forma mais eficaz.

Efeitos colaterais e segurança

Como acontece com muitas vacinas, é comum observar efeitos colaterais leves, como vermelhidão ou inchaço no local da injeção, febre leve e irritabilidade. Esses sintomas geralmente desaparecem em alguns dias e são uma resposta normal do sistema imunológico à vacina.

As vacinas pneumocócicas conjugadas são consideradas seguras e eficazes. Elas passam por rigorosos testes de segurança antes de serem aprovadas para uso e são continuamente monitoradas para garantir sua segurança e eficácia.

Enfim, ficar de olho da caderneta de vacinação dos pequenos e garantir que as doses sejam dadas nos meses corretos é essencial para uma proteção definitiva. Então, caso esteja procurando por um lugar de confiança e tranquilo para garantir a imunização de seu filho(a), é só procurar a unidade Dr. Vacina mais próxima de você!

Patrícia Ruiz – COREN – SP 226-788 – Enfermeira Responsável Técnica. Concluiu a graduação de Enfermagem em 2009 na universidade UNIP – Sorocaba. Atua desde 2017 no Dr. Vacina.

FONTE Calendário de vacinação do bebê. Tua Saúde. Consultado em 13 de janeiro de 2022.

Leia Também:

Quais as vacinas mais importantes para um bebê?

Quais são as vacinas dos dois meses para os bebês?