Vacinação em prematuros

Vamos primeiramente esclarecer quem são considerados prematuros.

O QUE SÃO PREMATUROS?

Prematuros são os recém-nascidos menores de 37 semanas, podendo ainda ser subdivido em:

Prematuros tardios (nascidos entre 33 semanas e 36 semanas);

Muito pré-termos (entre 28 e 32 semanas);

Pré-termos extremos (abaixo de 28 semanas).

Anualmente em todo o mundo, cerca de 30 milhões de bebês nascem prematuros ou com baixo peso de acordo com OMS. E no Brasil está estimada em 11,5% do total de nascimentos, ou seja, cerca de 345 mil crianças do total de 3 milhões de nascimentos.

Os pré-termos tardios representam a grande maioria dos prematuros, em torno de 74% do total, seguido pelos menores de 32 semanas (16%) e de 32-33 semanas (10%), de acordo com o Projeto Nascer no Brasil. (revistanews.com.br).

A necessidade de internação dos RNPT(recém nascidos pré-termos )logo após o nascimento é frequente e com isso o atraso das vacinas que variam de 30% a 70%, com tempo médio de atraso de 6 a 40 semanas para as diferentes vacinas.

Algo preocupante, pois os pré-termos apresentam concentrações séricas de anticorpos inferiores às encontradas em RN de termo (RNT) e isso ocorre devido ao fato de os anticorpos maternos da classe IgG, transferidos por via transplacentária, alcançarem o feto principalmente no terceiro trimestre da gravidez.

Seu sistema imunológico apresenta pouca capacidade de uma resposta imune efetiva, ocasionando maior vulnerabilidade a processos infecciosos.

Assim, enquanto o RNPT encontra-se hospitalizado, já é possível iniciar seu calendário vacinal respeitando a sua idade cronológica, porém alguns fatores devem ser considerados como as condições clínicas do RN.

Recomenda-se adiar a vacinação se a criança apresentar condições hemodinâmicas instáveis, doença infecciosa aguda, doenças graves ou distúrbios metabólicos.

As vacinas que contêm vírus vivos (pólio oral e rotavírus) são contraindicadas em ambiente hospitalar. Porém, não há contraindicação para o uso dessas vacinas em pré-termos fora do ambiente hospitalar.

VACINAÇÃO EM PRÉ-MATUROS

Para aplicação de vacinas em RNPT, especialmente aqueles nascidos com idade gestacional menor de 28 semanas e com peso abaixo de 1000g, alguns fatores devem ser considerados como ser adiada se o RN apresentar condições hemodinâmicas instáveis ;o local de aplicação deverá de preferência ser no músculo vasto lateral da coxa, com agulhas curtas e adequadas à anatomia do prematuro.

Com relação as doses elas são iguais aos recém-nascido de termo, respeitando-se os intervalos entre as doses de uma mesma vacina e entre as diferentes vacinas. Nunca se deve fracionar as doses para não prejudicar a resposta imune.

Dessa forma, com exceção da vacina BCG, que precisa ter mais de 2 kg, o calendário proposto para RNPT deve ser seguido de acordo com a idade cronológica da criança.

Outra exceção é a imunoglobilina (palivizumabe ) que está indicada apenas para crianças menores de 1 ano, que nasceram prematuras, com idade gestacional menor de 29 semanas (28 semanas e 6 dias), menores de 2 anos, portadoras de doença pulmonar crônica da prematuridade e que necessitaram de terapêutica (corticosteroides, broncodilatador, diuréticos, suplementação de oxigênio) e menores de 2 anos com cardiopatia congênita, com repercussão hemodinâmica, hipertensão pulmonar grave ou necessidade de tratamento de insuficiência cardíaca congestiva (ICC).

Dessa forma a imunização dos prematuros são de extrema importância para a diminuição da morbidade nos primeiros anos de vida.

Patrícia Ruiz – COREN- SP 226-788 – Enfermeira Responsável Técnica. Concluiu a graduação de Enfermagem em 2009 na universidade UNIP- Sorocaba. Atua desde 2017 no Dr. Vacina.

Leia Também:

Verão em São Caetano: Dicas e Cuidados

Vacinas para janeiro: quais os imunizantes mais importantes para quem mora em Osasco?